ACII discute o fortalecimento da economia de Imperatriz

A reunião aconteceu nesta quarta–feira (17) e discutiu as cláusulas do termo de cooperação técnica para a implantação de empresas no Distrito Industrial de Imperatriz


ACII discute o fortalecimento da economia de Imperatriz

O Conselho Empresarial de Desenvolvimento Econômico de Imperatriz – CEDEI se reuniu na manhã desta quarta-feira (17) para tratar sobre o Termo de Cooperação entre a prefeitura municipal, conselho e estado, para analisarem a lei de incentivo fiscal e a desburocratização da implantação de empresas no parque Industrial de Imperatriz.

O encontro aconteceu nas dependências do Palácio do Comércio de Imperatriz, e estiveram na reunião representantes do comércio, indústria, município e estado, entre eles a Associa-ção Comercial e Industrial de Imperatriz (ACII), Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (SEINC) e a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema).

As principais cláusulas do termo abordam a lei de incentivo fiscal e a implantação de em-presas no Distrito Industrial, que deverá ser inaugurado nos próximos dias o 2º módulo das obras pelo Governo do estado.

A ACII, como uma das representantes da classe empresarial e industrial de Imperatriz, é uma das entusiastas do projeto. Segundo o presidente da ACII, Hélio Araújo, a entidade de-fende que a gestão do distrito industrial seja compartilhada também pelos empresários, fa-cilitando a implantação e consequentemente atraindo novos empreendimentos para a regi-ão.

"A ACII sempre na vanguarda propôs, juntamente com os membros do CEDEI, que possamos compartilhar a gestão do distrito industrial, com o intuito de dar uma dinâmica mais efetiva aos processos de implantação e de manutenção do distrito, para que com isso, possamos melhorar a ofertas e oportunidades aos empreendedores da Região Tocantina", ressalta o presidente da entidade.

Entre outras, algumas reinvindicações levantadas pelo grupo é a desburocratização para implantação de empresas na cidade, visto que, segundo Eduardo Soares Sousa, secretário a Sedec, atualmente para um empresário conseguir um espaço no Distrito Industrial, ele pre-cisa se deslocar até São Luís para realizar esse pedido.

A solução apresentada no Termo de Cooperação Técnica é que as empresas realizem a ins-crição para o Distrito Industrial, na sede da Sedec, e que a secretaria tenha uma sala no Parque Industrial.