Artigo

Relações humanas no novo mercado de trabalho


Artigo

Como economista e empresário, vejo hoje a eminente necessidade de fazer uma reflexão aprofundada, quando o assunto é relações humanas, pois a mesma está vinculada ao respeito pessoal, em compreender e promover o relacionamento profissional baseado no humano e não somente no conhecimento empírico e na ética do ponto de vista tradicional do empreendedor.

A nova trajetória do mercado de trabalho, com a globalização como base, vive sua maior transformação desde o período da revolução industrial, exigindo um novo tipo de pessoa nas relações humanas para atuar neste novo mercado, um empreendedor profissional e mais humanizado. O profissional moderno e atual precisa estar atualizado, tanto com o desenvolvimento dos negócios como atuando em diferentes ambientes, que valorizem o colaborador como pessoa, diferente do profissional tradicional que trabalha de forma linear, transformando o ambiente de trabalho impessoal e, na maioria das vezes, crítico, com técnicas, mecanismos e disciplina que deixam as áreas de trabalho tensas e sem valorização do capital humano.

Surge um mercado ultra conectado, profissional, autônomo, empreendedor, colaborativo, conhecedor dos limites e vontades próprias e o mercado que começa a demandar. Nas gerações mais novas esse fenômeno são mais evidentes. Ver claramente o tradicional e o novo se fundindo e escrevendo uma nova história nas relações humanas no ambiente de trabalho mundial.

O novo profissional trabalha em equipe, com metas profissionais e pessoais e possui consciência do que é imprescindível para seu desenvolvimento. Neste cenário todos envolvidos necessitam de especialização profissional e, se necessário, ser multifuncionais; ter equilíbrio e foco nas inteligências racional e emocional. Colocando o nosso pensar no dia a dia, percebemos que a mudança não acontece somente nos grandes centros econômicos, pois até mesmo em nossa região já percebemos que a valorização do colaborador como pessoa, tem feito à diferença nas organizações de nossa cidade.

O próprio colaborador tem buscado trabalhar em empresas que valorizam o capital humano, que se preocupam com seu bem estar físico, psíquico e emocional. Existem várias forças que estão moldando o trabalho e, claro, seus profissionais. Dentre estas realidades e forças, estão a tecnologia, globalização, mudanças demográficas e preocupações ambientais. Não é só o profissional que deve estar preparado para tamanha virada. As empresas de todos os seguimentos e tamanhos, da micros à grandes empresas, que se expandiram ao longo dos últimos anos, também precisam rever suas convicções e definições.

Uma das principais mudanças é dar mais autonomia para que o funcionário crie, produza e evolua sem ficar estafado. Para estar inserido neste meio, devemos sempre estar comprometido no desenvolvimento das competências de um profissional moderno, aperfeiçoar as relações entre a natureza humana intrapessoal e interpessoal, desenvolver diversas formas, maneiras e competências que necessitar ao longo de nossa caminhada, seja como empreendedor, consultor, empresário, funcionário, colaborador, produtor, rumo ao novo.









DICAS PARA UM AMBIENTE DE TRABALHO AGRADÁVEL:

• Respeitar o chefe imediato, colegas, subordinados e clientes – quem respeita, sempre será respeitado.
• Não cortar a palavra de quem fala – falar pouco e com segurança agrada mais aos clientes e colegas.
• Ser claro na comunicação – falar somente o necessário. Saber ouvir é uma arte!
• Cuidar para não ferir o outro com reações agressivas – controlar emoções é fundamental.
• Procurar a causa das antipatias para vencê-las – conhecer a si mesmo e procurar ser compatível com colegas e chefia são básicos para o trabalho harmonioso e rentável.
• Nunca dizer categoricamente: “Não concordo! Você está errado” – dizer a mesma coisa com outros termos. A maneira como você diz é mais importante do que aquilo que você diz.
• Aprender a enaltecer as qualidades positivas das pessoas, através do elogio – esta é a melhor arma para quem quer conquistar e cativar amigos.
• Ter sempre um semblante alegre e sorridente – o sorriso contagia favoravelmente o ambiente. A simpatia atrai amizades.
• Mostrar interesse pelos outros – as pessoas gostam de receber atenção. Amigos sim; íntimos não!
• Lembrar sempre que ninguém nasce sabendo – aprender é descobrir as suas próprias ignorâncias; dialogar, uma arte!
• Gostar do que faz é gostar de si. Gostar do outro e amar seu trabalho são ingredientes de sucesso nas relações humanas.

Se algum empresário ainda questiona os resultados que esses treinamentos podem gerar, afirmo que esse investimento ainda estimula nas pessoas o sentimento de pertencer ao contexto da empresa, encoraja o aprendizado e o crescimento contínuo dos profissionais, cria um clima que estimula os desafios e a criatividade, inspira entusiasmo, reconhece e compreende os sentimentos dos outros. Tente e verá os resultados que obterá!

FRANCISCO ALVES DOS SANTOS
ECONOMISTA / CONTABILISTA
ICML CONSULTORIA (SÓCIO)