CACB lamenta veto presidencial ao fim da multa sobre o FGTS

Presidente civulga carta enviada a Dilma


CACB lamenta veto presidencial ao fim da multa sobre o FGTS

A Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) lamenta o posicionamento do governo federal quanto ao fim da multa de 10% sobre o FGTS dos demitidos sem justa causa. A entidade mantém seu posicionamento na luta pela derrubada da multa.
O presidente José Paulo Dornelles Cairoli enviou posicionamento para todas as filiadas nesta quinta-feira (25) a fim de manter a mobilização e discutir os próximos passos do movimento pela reforma tributária.

Confira a carta aberta na íntegra:
Brasília, 25 de julho de 2013
Prezados Presidentes

Apesar de nossa mobilização, esforço e pressão para derrubar a multa de 10% sobre o FGTS dos demitidos sem justa causa, numa vigorosa corrente de união, a presidenta Dilma Rousseff vetou a decisão dos deputados e manteve a multa.
Lamentamos a posição do governo federal e vamos nos reorganizar para continuar lutando pela causa, justa e necessária para nossos filiados e pela manutenção dos empregos.
Indícios apontavam para o veto da presidenta Dilma. Mesmo assim não desanimamos e continuamos a fazer pressão. Este assunto não sai de nossa pauta e, oportunamente, vamos traçarmos os próximos passos do nosso movimento em busca do fim da multa.
Quero agradecer a todos pelo empenho e mobilização, com a tranquilidade de quem fez sua parte e fazer uma nova convocação no sentido de continuarmos mobilizados.
É importante reforçar nossa posição de lamento pela decisão da presidenta e lembrar que a representação de nossas entidades deve se manter em sintonia com as nossas lutas.

Atenciosamente,
José Paulo Dornelles Cairoli
Presidente
(Comunicação CACB)