Declaração de Imposto de Renda - fazer sozinho ou com o contador?

Confira as dicas do diretor para Assuntos Contábeis e Tributários da ACII, Hélio Araújo


Declaração de Imposto de Renda - fazer sozinho ou com o contador?

Começa amanhã, 2 de março, o prazo para a entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2015, que tem como base os rendimentos obtidos em 2014. Mas mesmo antes do prazo é possível antecipar o preenchimento da declaração para evitar contratempos. Desde o final do ano passado, a Receita Federal disponibiliza uma espécie de rascunho, onde é possível adiantar a declaração.
Para ajudar o contribuinte na hora de fazer a declaração, o “Jornal da ACII” ouviu o diretor para Assuntos Contábeis e Tributários da entidade, o contador e empresário Hélio Rodrigues Araújo, que esclarece as principais dúvidas e aponta a forma mais apropriada de fazer a declaração. Confira abaixo.
• A declaração pode ser feita tanto pelo contribuinte, como também por uma empresa especializada ou contador. Em que situação o Sr. aconselha a recorrer a um profissional da área de contabilidade?
É preciso analisar a questão de forma individual, mas, em linhas gerais, aquelas pessoas que possuem apenas uma fonte de renda, não possuem bens, como imóveis e veículos e têm como renda somente o salário acima da faixa de isenção, essa pessoa tem plenas condições de realizar a declaração sozinha, desde que tenha afinidade com a tecnologia, intimidade com as questões financeiras da relação de trabalho. Caso contrário, é aconselhável procurar um profissional especializado, já que um erro de um centavo pode reter a declaração na malha fina. Hoje a Receita possui todas as informações que serão cruzadas com a declaração e quem tem muitos rendimentos ou pouca familiaridade com questões trabalhistas e tributárias, é melhor procurar um serviço especializado.
• Quais são as dúvidas mais comuns?
Em relação aos dependentes, é importante frisar, só pode ser declarado alguém que seja efetivamente dependente financeiramente; um filho menor de idade, por exemplo. Dependente precisar ser alguém que não possua fonte de renda e dependa do contribuinte, não adianta querer deduzir de alguém que realmente não seja. Mas esta não é a principal dúvida. As despesas efetivas que podem ser deduzidas são as maiores dúvidas. Assim, por exemplo, um filho que pague o plano de saúde da mãe aposentada não pode declarar esse gasto com dedutível, uma vez que a mãe é aposenta e possui fonte de renda. Outra dúvida comum diz respeito a valores de terrenos e veículos, entre outros. Então, é preciso ficar atento.
•O que deve ser priorizado e evitado quanto à declaração do Imposto de Renda?
Deixar para a última hora é sem dúvida a pior opção. Preciso declarar todos os meus ganhos do ano passado. Então, em 2015 já trato de juntar os comprovantes para a declaração de 2016. As empresas entregam a seus funcionários o informe de rendimentos, o que deve ser feito até dia 28 de fevereiro. Enfim, quanto mais cedo a pessoa se planejar, melhor.
• Este ano tem alguma nova regra ou apenas a correção da tabela anual?
Só temos a correção da tabela mesmo. Nesse aspecto, o Governo continua com uma política de atualização defasada, cruel. Nos últimos doze anos, tivemos uma defasagem de quase 100%. Isso faz com que mais gente pague o Imposto de Renda. O aumento dos salários é corroído pelo Imposto de Renda, pelo Governo.

Foto: reprodução Internet