Diretores da ACII analisam mercado imobiliário de Imperatriz

Indicadores apontam recuperação do mercado imobiliário no país, e os empresários Jairo de Oliveira e Ademar Mariano avaliam o cenário na cidade


Diretores da ACII analisam mercado imobiliário de Imperatriz

Um conjunto de indicadores econômicos aponta que o setor imobiliário pode iniciar uma trajetória de retomada este ano. Índices como, demanda por crédito, saldo de empregos no setor, baixa taxas de juros, retomada de preços e redução da inadimplência, sugerem recuperação, ainda que moderada.

A pesquisa “Perspectiva do Mercado Imobiliário 2018-2019” realizada pela Associação para o Desenvolvimento Imobiliário e Turístico do Brasil (ADITBrasil) mostra que 52% do empresariado acredita no crescimento acentuado do mercado. Se comparado ao mesmo dado do ano anterior, a variação é positiva em 30%. Somados aos 45% que acreditam em uma retomada lenta ao longo do ano, 97% do setor se diz positivo. Os dados foram coletados entre dezembro de 2018 a janeiro de 2019.

De acordo com a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), a concessão de financiamento imobiliário, com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) cresceu 32,2% em janeiro ante igual mês de 2018, para R$ 5,1 bilhões.

O Diretor para Assuntos Imobiliários da Associação Comercial e Industrial de Imperatriz (ACII), Jairo de Oliveira, acredita que esses dados refletem no mercado imobiliário da cidade. Para ele, a partir da instalação de cursos de Medicina e cursos de diversas áreas da engenharia nos últimos anos, movimentou o setor. “Hoje não temos mais oferta de apartamento de um ou dois quartos para aluguel, por exemplo. E não há no momento nenhum lançamento de empreendimento assim. Ou seja, pelos próximos meses teremos uma necessidade de apartamentos com essas configurações e não vamos ter oferta. Isso fará com que o valor desses aluguéis cresça, inclusive, de forma superior em relação ao resto do país”, analisa.

Ademar Mariano é proprietário da empresa de consultoria imobiliária Ademar Mariano e também Diretor para Assuntos Imobiliários da ACII. O empresário conta que não há dados estatísticos sobre o mercado na cidade, mas a análise e a expectativa são positivas. “A partir do final das eleições, de dezembro para cá, começou a sinalizar uma melhora no setor”, constata.

Mariano explica que o crescimento é tímido, mas já é possível perceber uma retomada, inclusive com empreendimentos de construtoras. “Construtoras estão se manifestando positivamente e de forma concreta vindo com lançamentos”, observa. “Embora a gente não tenha ainda fatores relevantes, como as reformas que precisam ser feitas na economia do país, o mercado já vem sinalizando uma certa confiança”, finaliza.

O diretor comenta também sobre a Lei de Distrato. Para ele, a nova norma aumenta a confiança do empreendedor. Pela nova lei, clientes que desistirem da compra de um imóvel negociado na planta terão de pagar até 50% do valor já dado à construtora como multa para desfazer o negócio. Até então, não havia padrão para esta multa, e boa parte dos casos parava na Justiça, gerando multa de 10% a 15%. Mariano acredita que essa lei é importante para a regulamentação do distrato imobiliário.