Empresária comenta a participação das mulheres na atividade empresarial

Rita Mariano é empresária do ramo educacional, está há mais de 30 anos à frente do Colégio Delta Infantil, empresa associada à ACII.


Empresária comenta a participação das mulheres na atividade empresarial

No último domingo, 8, foi comemorado em todo o mundo, o Dia Internacional da Mulher, estudo elaborado pela Serasa Experian revela que o Brasil possui 5,6 milhões de mulheres empreendedoras, ou 8% da população feminina do País. Do total de empresas ativas no Brasil, 30% tem mulheres como sócias. Elas estão também à frente da maioria dos novos negócios abertos e também são a maiorias nas universidades brasileiras.
Para celebrar a data, o site da ACII entrevistou a empresária Rita Mariano, que comenta a participação das mulheres na atividade empresarial de Imperatriz. Confira:

ACII: As mulheres hoje estão presentes em cargos importantes e até mesmo na presidência de grandes empresas ou como proprietárias de empreendimentos de sucesso. Apesar dessas conquistas, na sua opinião, quais os desafios para uma mulher no ramo empresarial na atualidade?

RITA MARIANO:
Hoje, muitas mulheres assumem o papel de empregadoras, empresárias e participam em igualdade na luta pelas mudanças sociais e econômicas. Todavia, pela nossa cultura machista, a mulher em algumas situações ainda precisa demonstrar a sua capacidade empreendedora para ser respeitada. Considero como maior obstáculo na carreira da mulher, o equilíbrio entre vida pessoal e trabalho. ‘‘Ser mãe e empreendedora é muito desafiador’’.

ACII: Baseado em sua experiência, quais as mudanças nas vidas das mulheres ao decorrer dos anos? Houve avanços?

RITA MARIANO:
Vivenciei esta história com minha mãe! Tempo em que o papel da mulher na sociedade era reconhecida por seus trabalhos domésticos, dona de casa, responsável pelos cuidados dos filhos, inteiramente submissa aos pais ou ao marido, não tendo direito de realizar seus sonhos, tampouco de expressar suas vontades.
Com os movimentos feministas das décadas de 60 e 70 a mulher deixou de ser vista pela sociedade apenas como mãe amorosa e esposa dedicada e gradativamente as condições de independência estão sendo adquiridas por nós mulheres.
A grande mudança no papel da mulher na sociedade atual, teve seu marco na Constituição Federal de 1988, quando estabeleceu “direitos iguais para homens e mulheres”, porém para sair do papel e ser de fato introduzida no modo de vida do povo brasileiro, foram longos anos e até hoje as mulheres avançaram escrevendo um novo capítulo na história do empreendedorismo, aplicando multiplicidade do papel feminino, talento, otimismo, garra e paixão pelo que fazem, inserindo características aos negócios, valorizando a criatividade, a sensibilidade, flexibilidade, colaboração, investindo e assegurando o sucesso no cenário econômico.