Imperatriz arrecadou mais de 134 milhões de impostos esse ano

Em 2016, nesse mesmo período, a soma era de um pouco mais que 115 milhões, tendo um aumento de 17% este ano.


Imperatriz arrecadou mais de 134 milhões de impostos esse ano

O volume de impostos, taxas e contribuições pagos pelos imperatrizeses, desde o primeiro dia do ano de 2017, atingiu a marca de mais de R$ 134 milhões nesta quinta-feira (21), aponta o Impostômetro, ferramenta criada para medir a arrecadação dos impostos, elaborado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Em 2016, nesse mesmo período, a soma era de um pouco mais que 115 milhões, tendo um aumento de 17% este ano.
Os números informados pelo Impostômetro são nominais (sem descontar a inflação). Segundo o presidente da Associação Comercial e Industrial de Imperatriz - ACII, Hélio Araújo, a alta dos impostos sobrecarrega o empresariado enfraquecendo a produção. “Os impostos no Brasil tem aumentado sistematicamente. O empresariado tem uma sobrecarga de impostos de 38,6%. Os governos têm aumentado suas arrecadações mês a mês, fazendo com que tivéssemos um aumento de 8,4% de impostos. Sendo que o Brasil gerou este ano um déficit orçamentário de 157 bilhões ocasionando todo um descompasso entre produção e impostos,” afirma.
De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário - IBPT, em 2016 o brasileiro destinou em média, 41,80% do seu rendimento bruto para pagar tributos.
Esses recursos deveriam voltar para a sociedade em forma de serviços públicos. Mas muitas vezes os cidadãos, além de pagar impostos, pagam do bolso por serviços de educação, saúde e segurança. Ou seja, a renda disponível para consumo é ainda menor do que a carga tributária. Para Hélio, o governo precisa melhorar o controle das contas públicas e gerir melhor a aplicação dos impostos “em momentos de crise, o governo tem que incentivar a produção e diminuir os impostos”.
O empresário Hugo Souza destaca que o impacto do aumento dos impostos interfere diretamente no negócio local. “Essa alta carga tributária acaba acarretando mais desempregos. O empresariado precisa retrair os investimentos e acaba contratando menos. Sem falar que o consumo diminui, a população não quer gastar e toda a economia acaba sofrendo com esse impacto.”


O IMPOSTOMETRO
O Impostômetro é um medidor estatístico usado para medir impostos em um país, cidade ou região, e fornece os números simultaneamente ao momento em que é pago. O medidor considera todos os valores arrecadados nas três esferas de governo, à título de tributo, entre eles, os impostos, as taxas e contribuições, incluindo as multas, juros e a correção monetária.