Imperatriz é uma das 20 cidades que mais contrataram em agosto

20 municípios que mais cortaram vagas somam 40 mil empregos perdidos.


Imperatriz é uma das 20 cidades que mais contrataram em agosto

Em meio ao atual cenário de crise, onde vemos nos noticiários diariamente que a inflação não para de crescer, impostos têm seus valores aumentados, novos impostos são inventados, velhos impostos são trazidos de volta. Sem mencionar o aumento em todos os produtos básicos e não básicos para o brasileiro, com isso seu poder de compra cai cada vez mais. As empresas estão se adaptando ao aumento dos custos a cargas tributárias, têm demitido seus colaboradores para que não precise fechar as portas e contribuído para que esses números ruins sobre nossa economia não pare de crescer.
O Ministério do Trabalho fez um levantamento sobre as 20 cidades que mais demitiram e as 20 cidades que mais contrataram em agosto. Dentre as que mais contrataram no país, se destacam na lista duas cidades do Maranhão: Imperatriz e Santa Inês. Ficando à frente da capital do Goiás, Goiânia, e cidades dos estados do Mato Grosso, Rio de Janeiro e São Paulo, Imperatriz fez 620 contratações e Santa Inês 374, ocupando a última posição da lista.
Para o presidente da Associação Comercial e Industrial, Jairo Almeida, “nas áreas de prestação de serviço e comércio, existe uma certa rotatividade de acordo com as vendas e fluxo destes segmentos”. Portanto são os maiores contribuidores para que Imperatriz esteja entre as 20 cidades que mais contrataram em agosto. “Muitos segmentos sentiram a crise mais forte e tiveram que diminuir seu quadro de funcionários e não conseguiram repor mais, diferente do comércio que, embora haja crise e o poder de compra da população tenha caído, sempre existe uma demanda, levando, assim, este segmento a contratar mais sempre que for preciso.
Apenas 20 cidades perderam, juntas, mais de 40 mil postos de trabalho formal em agosto, segundo dados do Ministério do Trabalho. Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo foram as cidades com mais postos que deixaram de existir. Na capital mineira, foram registradas 4,5 mil vagas com carteira assinada a menos – mais da metade, na construção civil. No Rio de Janeiro, a maioria das vagas foi perdida nos setores de serviço e comércio. Já em São Paulo, construção civil e indústria foram os setores que mais cortaram postos de trabalho.
Já os 20 municípios que mais contrataram, por sua vez, criaram 17.136 vagas. Entre eles, 11 estão na região Nordeste, e apenas três são capitais de seus estados: Rio Branco, Aracaju e Goiânia. São Luis do Quitunde, em Alagoas, foi o município que mais gerou postos formais: 1.992.Igarassu (PE), aparece em segundo, com 1.953, seguida por Santa Rita (1.470) e Mamanguape(1.180), ambas na Paraíba.

No Brasil
Em agosto, as demissões superaram as admissões em 86 mil vagas em todo o país, segundo o Ministério do Trabalho. Foi o pior resultado para este mês em 20 anos.No acumulado dos 8 primeiros meses deste ano, ainda segundo dados oficiais, foram fechados 572.792 postos com carteira assinada no país.Apesar do país ter continuado a perder vagas com carteira assinada, o número de vagas fechadas em agosto ficou abaixo das 157 mil vagas perdidas no mês anterior.

20 CIDADES QUE MAIS DEMITIRAM (as capitais estão em negrito)
Belo Horizonte (MG): -4.505
Rio de Janeiro (RJ): -4.089
São Paulo (SP): -3.650
Curitiba (PR): -2.947
Salvador (BA): -2.858
Santa Cruz Do Sul (RS): -2.255
Recife (PE): -2.154
Caxias do Sul (RS): -2.055
Venâncio Aires (RS): -1.852
Manaus (AM): -1.810
Jundiaí (SP): -1.656
Joinville (SC): -1.613
Altamira (PA): -1.401
Natal (RN): -1.349
Guarulhos (SP): -1.348
Porto Alegre (RS): -1.323
Contagem (MG): -1.219
Barueri (SP): -1.143
Santos (SP): -1.109
Macaé (RJ): -1.107

20 CIDADES QUE MAIS CONTRATARAM (as capitais estão em negrito)
São Luis do Quitunde (AL): 1.992
Igarassu (PE): 1.953
Santa Rita (PB): 1.470
Mamanguape (PB): 1.180
Rio Branco (AC): 1.154
Aracaju (SE): 1.144
Mossoró (RN): 877
Petrolina (PE): 866
Bebedouro (SP): 665
Imperatriz (MA): 620
Campos dos Goytacazes (RJ): 588
Cristalina (GO): 583
Casa Nova (BA): 582
Granja (CE): 565
Flórida Paulista (SP): 547
Goiânia (GO): 545
Pontes e Lacerda (MT): 518
Caieiras (SP): 507
Matão (SP): 406
Santa Inês (MA): 374