Sebrae encerra atividades anuais do projeto Agronegócio do Leite

O encontro de encerramento apresentou palestra sobre a Lei de Produtos Artesanais de Origem Animal


Sebrae encerra atividades anuais do projeto Agronegócio do Leite

Foram encerradas nesta quarta-feira, 26, as atividades anuais do projeto Agronegócio do Leite e Derivados da Região Sul, promovido pelo Sebrae através de sua unidade regional em Imperatriz. O encerramento foi marcado pela apresentação de um balanço das ações realizadas pelo projeto durante o ano, discutindo e planejando o calendário das atividades para 2015.
O encerramento contou com uma programação de palestras, sendo a principal delas sobre a Lei de Produtos Artesanais de Origem Animal, que regulamenta a fabricação de produtos como os derivados do leite. A palestra foi ministrada pela fiscal agropecuária da Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão – AGED, Cleide Cunha, que enfatizou a relevância da lei principalmente para o pequeno produtor.
“A grande importância da Lei de Produtos Artesanais é valorizar o pequeno produtor, aquele que trabalhava de uma forma irregular por falta de condições financeiras e de conhecimento e que agora, com a abertura dessa lei, vai ter uma maior facilidade em produzir e colocar o seu produto no mercado de forma higiênica e sem agredir a saúde pública, pois vai poder oferecer um produto de qualidade”, ponderou a fiscal da AGED.
O presidente do Sindicato dos Produtores de Leite do Estado - Sindileite, Alexandre Ataíde, também falou com satisfação da nova regulamentação. “Nós sempre fomos cientes da dificuldade do produtor que resolveu diversificar seus ganhos produzindo queijo, iogurte, enfim, produtos derivados do leite. E hoje, essa lei é uma grande alternativa para que o produtor, de qualquer tamanho, possa se organizar melhor, fazer sua própria indústria dentro da sua propriedade e assim, se torne um pequeno empreendedor legalizado, para colher os frutos disso”, pondera o produtor, que agradeceu ao Sebrae pela iniciativa de esclarecer como funciona a Lei dos Produtos Artesanais. “Foi muito importante, pois está nos dando uma grande oportunidade de conhecer essa lei e tirar nossas dúvidas, para que possamos nos adequar”, destacou o presidente do Sindileite.
O encontro contou com os empreendedores atendidos pelo projeto – produtores rurais, secretários de agricultura, técnicos agropecuários, sindicatos leiteiros, órgãos estaduais ligados ao agronegócio – de várias cidades circunvizinhas, como: Buriticupu, Estreito, Porto Franco, Vila Nova dos Martírios, João Lisboa, Buritirana, Sítio Novo, Senador La Rocque, Açailândia e São João do Paraíso.

Assessoria de Comunicação