Volume de produção inicia ano em queda no Maranhão, diz pesquisa da FIEMA

Segundo o estudo, o resultado deve-se à acentuada queda de 9,2 pontos da produção das empresas de pequeno porte


Volume de produção inicia ano em queda no Maranhão, diz pesquisa da FIEMA

A Sondagem Industrial do Maranhão divulgada esta semana pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA) apontou que o volume de produção das empresas industriais demonstrou nova redução no mês de janeiro de 2015 em relação aos meses anteriores, ao marcar 39,9 pontos. A pesquisa foi realizada no período de 2 a 12 de fevereiro com empresas de diversos ramos industriais.
Segundo o estudo, o resultado deve-se à acentuada queda de 9,2 pontos da produção das empresas de pequeno porte, que em dezembro marcavam 49 pontos e em janeiro atingiram 39,8 pontos. Já as empresas de médio e grande porte mantiveram a média de produção e permaneceram no patamar de 40 pontos, o que representa volume de produção decrescente.
No cenário nacional e regional, o volume de produção tanto das empresas brasileiras quanto das nordestinas apresentou uma leve melhora, marcando 42,7 pontos e 46,3 pontos, respectivamente. No entanto, ainda caracterizando um volume abaixo do ideal.
No que tange a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) das empresas em janeiro, a Sondagem indicou que a UCI efetiva-usual voltou a cair para a casa dos 37,5 pontos, em consonância com o índice do número de empregados, que também caiu para 40,6 pontos. Dessa forma, constata-se um crescimento nos estoques, tanto na sua evolução quanto no planejado, que apontaram 52,6 e 48,9 pontos em sequência.
Para os próximos seis meses, a expectativa dos empresários da indústria sofreu uma melhora nos indicadores, segundo a pesquisa da FIEMA. O mesmo ocorreu com o indicador da demanda esperada pelos produtos, que aumentou e ultrapassou a linha divisória dos 50 pontos, indicando uma retomada na confiança neste quesito.
Já os índices de número de empregados e de compra de matéria-prima, mesmo com a elevação apontada em janeiro, ainda denotam certo receio dos empresários maranhenses quanto o futuro próximo.
A Sondagem Industrial é elaborada mensalmente pela FIEMA em parceria com Confederação Nacional da Indústria (CNI), com indústrias dos segmentos de Alimentos, Vestuário, Couros, Derivados do petróleo, Biocombustíveis, Química, Limpeza e perfumaria, Plásticos, Minerais não metálicos, Metalurgia, Produtos de metal, Veículos automotores, Móveis, Manutenção, Reparação e Instalação de Máquinas e Equipamentos.
Para medir o volume de produção e a UCI, o indicador varia de 0 a 100. No volume de produção, quando o indicador fica abaixo de 50 sinaliza queda na produção e acima aumento da produção. Já na UCI, menor que 50, indica queda, UCI abaixo do usual, estoque produtos finais abaixo do planejado ou expectativa negativa. Maior que 50, aumento, UCI acima do usual, estoque produtos finais acima do planejado ou expectativa positiva.

Fonte: Fiema